quarta-feira, 15 de outubro de 2008

Diabo da Tasmânia

mundo dos curiosos: Diabo da Tasmânia


CARACTERÍSTICAS FÍSICAS: O corpo maciço apresenta uma cabeça enorme, o focinho largo com o lábio superior eriçado de verrugas, bochechas contendo tufos de vibrissas longas e rígidas, os olhos pequenos, a cauda curta, cônica e muito grossa, e os membros curtos e ligeiramente tortos, quase iguais em tamanho. O marsúpio,. em forma de ferradura, abre-se posteriormente.


PELAGEM: a pelagem é negra em quase sua totalidade, constitui-se de pêlos curtos e eriçados e uma raia branca atravessa o peito, com duas manchas, igualmente brancas, ornando-lhe os flancos.
ALIMENTAÇÃO: Animais mortos (carne putrefata) e quando isto não está disponível o Diabo tasmaniano comerá a terra que cava, insetos, ovos de pássaro e qualquer coisa. O Diabo tasmaniano é um animal muito lento e está então impossibilitado a caça. Suas mandíbulas e dentes são poderosos, o que lhe permite devorar sua presa completamente, até os ossos, pele e pêlos.
HÁBITOS: O diabo possui hábitos noturnos (ativo depois da escuridão). Durante o dia esconde-se normalmente em uma guarida, ou arbusto denso. Anda distâncias consideráveis de até 16 k ao longo de rastros bem definidos à procura de comida. Normalmente anda lentamente mas pode correr. Diabos jovens são porém mais ágeis e podem escalar árvores.



SOM: seu rosnar e bater de dentes sugerem uma índole feroz e intratável. Ouvir o seu grunhido na floresta chega a "arrepiar a espinha", o que levou os nativos a chamarem-no de "diabo". O diabo faz uma variedade de ruídos ferozes, de tosses severas e grunhidos para guincho altos. Um espirro afiado é usado como um desafio para outros diabos, e freqüentemente vem antes de uma briga. Muitos deste comportamento espetacular são escarpados e parte de um ritual para minimizar lutas quando estão se alimentando coletivamente uma carcaça grande.

COMPORTAMENTO: É raramente agressivo, mas em cativeiro mostra-se dócil, mesmo se perturbado à hora das refeições. O diabo possui hábitos noturnos (ativo depois da escuridão). Durante o dia esconde-se normalmente em uma guarida, ou arbusto denso. Anda distâncias consideráveis de até 16 k ao longo de rastros bem definidos à procura de comida. Normalmente anda lentamente mas pode correr. Diabos jovens são porém mais ágeis e podem escalar árvores. O famoso bocejo do diabo que olha e ameaça abrindo sua boca, pode estar enganando. Esta exibição é executada mais por medo e incerteza que de agressão. Diabos produzem um odor forte quando estão com medo, mas se estão calmos e relaxados não são fedorentos.
No início da colonização da Tasmânia, ele se mostrou nocivo, porque destruía as galinhas com o mesmo instinto sanguinário das martas. Os colonos começaram, então a perseguí-lo com tal encarniçamento que ele se retirou para as floresta mais profundas e as mais inacessíveis regiões montanhosas da ilha.
FILHOTES: O filhote nasce e fica acomodado na bolsa marsupial que fica nas costas da mãe. Normalmente são 4 filhotes e, apesar de 4 tetas, o normal é sobreviver apenas 2 ou 3 filhotes. No final de 7 semanas já medem 70 mm e, depois de 15 semanas abandonam as tetas maternas. Nesse período já possuem pelagem e os olhos já estão abertos. São amamentados durante uns 5 meses e transferidos para um ninho tão logo atinjam um tamanho que não lhes permita continuar na bolsa ventral. São desmamados aos 6 ou 7 meses de idade

Nenhum comentário:

Postar um comentário