domingo, 2 de novembro de 2008

Triângulo das Bermudas


Triângulo das Bermudas

Alguns acreditam que as leis da física não se aplicam ao Triângulo das Bermudas e este é um dos únicos dois lugares do mundo onde uma bússola não aponta para o norte magnético.

Através dos anos centenas de barcos e aviões desapareceram na área do Oceano Atlântico entre Bermuda, Porto Rico e Fort Lauder,dale. Um dos desaparecimentos mais famosos aconteceu em dezembro de 1945, quando o Vôo 19 – cinco aviões de bombardeiro da marinha – sumiram durante um exercício de treinamento.



Efeito da irregularidade da superfície do mar na Corrente do Golfo, captado pelo satélite Terra, da NASA, em 8 de abril de 2004

Uma explicação para o misterioso desaparecimento de navios inteiros poderia ser as grandes bolsas de gás que são comuns no leito do mar nesta área. Quando o gás sobe para a superfície, ele dissolve na água, diminuindo a flutuação e causando o naufrágio de navios.


Imagem cedida U.S. Naval Historical Center

(Centro histórico naval norte-americano) Um Grumman TBF Avenger da marinha americana
Aviões Avengers da Marinha Americana, vôo 19, em 1945

A história mais famosa do Triângulo das Bermudas, sem dúvida, é o mistério que cerca o desaparecimento de cinco aviões Avengers da marinha em 1945.
A história do vôo 19 costuma ser resumida assim: uma patrulha de rotina partiu em um dia ensolarado com cinco pilotos muito experientes. De repente, a torre começou a receber transmissões do líder do vôo alegando que estavam perdidos, que as bússolas não funcionavam e que "tudo parecia errado". Depois disso, eles nunca mais foram vistos e investigações posteriores da marinha não tiveram nenhum sucesso em explicar o incidente.



Imagem da NASA onde se podem observar os 3 vértices do Triângulo das Bermudas: Miami, Florida, Bermuda e San Juan, Puerto Rico.

A primeira noticia que se tem de fenomenos estranhos na regiao do triangulo das Bermudas, sao de Cristovao Colombo que em 15 de setembro de 1492, viu uma enorme bola de fogo caida do ceu, em direcao ao oceano. Parte da tripulacao foi tomada pelo panico diante das estranhas anomalias registradas nas bussolas e outros instrumentos de navegacao, atribuindo-lhes uma caracteristica sobrenatural. Ainda hoje tais fenomenos sao observados nos limites territoriais do chamado triangulo das Bermudas.

A expressão "triângulo das Bermudas" foi inventada por Vincent H. Gaddis, escritor e investigador que se especializou nos fenómenos inexplicados, misterioso e insólitos, para demarcar uma zona onde estranhos acontecimentos têm acontecido. Ele é autor de numerosos livros, entre os quais Invisible Horizons, publicado nos Estados Unidos em 1965. Nessa obra, o autor consagra um capítulo inteiro ao Triângulo das Bermudas, empregando assim, pela segunda vez, uma expressão forjada por ele em 1964 para um artigo publicado na revista Argosy.

A partir do aparecimento do livro de Gaddis, a expressão conheceu um grande êxito e, pouco tempo depois, era retomada por uma quantidade de autores, fascinados, também, por esse formidável enigma. Entre esses autores, há um cujo nome aparecerá muitas vezes neste livro e que creio útil apresentar desde já. Trata-se de um amigo de Vincent H. Gaddis, um "caçador de mistérios" também ele, Ivan T. Sanderson. Ivan T. Sanderson morreu a 20 de Fevereiro de 1973. Esse desaparecimento súbito privou o mundo de um dos seus espíritos mais fecundos e mais originais. Viajante infatigável, explorador, investigador e escritor, consagrou uma grande parte da sua vida a capturar animais, muitos dos quais pertencentes a espécies muito raras para os jardins zoológicos e diversos organismos de estudo e investigação.

Devem-se-lhe numerosas emissões de rádio e de televisão, assim como várias obras consagradas ao estranho e ao inexplicado. Foi por isso que ele fundou, em 1965, a Society for the Investigation of the Unexplained (Sociedade para a Investigação do Inexplicado) e escreveu livros que tratam, precisamente, de fenómenos esquisitos e misteriosos. Invisible Residents é um desses livros, talvez o mais célebre do seu autor, que nele expõe uma teoria particularmente original. Segundo ele, seres inteligentes viveriam há milénios sob a superfície dos lagos, dos mares e dos oceanos do nosso globo, e é aí, escondido sob toneladas de água, onde ninguém pensaria em ir procurá-lo, que residiria o segredo dos objectos voadores e aquáticos não identificados. Entre os capítulos que constituem Invisible Residents, há um, o oitavo, que se intitula «The Bermuda Triangle» (O Triângulo das Bermudas). Sanderson tinha portanto dado provas de uma certa clarividência ao incluir nos fenómenos registados em Invisible Residents os desaparecimentos ocorridos na zona do Triângulo.


O navio U.S.S. Cyclops, 1918

Barcos eram encontrados abandonados pela tripulação, com a sua carga intacta e por vezes com a comida ainda quente nas mesas, outros, e aviões também, desapareciam misteriosamente sem deixar rasto e por vezes poucos minutos depois de terem estabelecido contacto informando que tudo estava bem. Em terra, estranhos fenómenos aconteciam.

Boletins meteorológicos, relatórios de órgãos oficiais de investigação, notícias de jornal e outros documentos indicavam que a literatura do Triângulo agira levianamente no que dizia respeito às provas. Por exemplo, os mares calmos na literatura transformavam-se em temporais furiosos na realidade; desaparecimentos misteriosos tornavam-se afundamentos e acidentes de causas convencionais, os destroços de navios "dos quais nunca mais se teve notícia" viraram "encontrados há muito tempo".

Em carta de 4 de abril de 1975 escrita para Mary Margaret Fuller, editora da Fate, um porta-voz da Lloyd's de Londres escreveu: "Segundo os registros da Lloyd's, 428 navios foram dados como desaparecidos em todo o mundo desde 1955 e talvez lhe interesse saber que nosso serviço de inteligência não encontrou provas que corrobem a alegação de que há mais perdas no "Triângulo das Bermudas" do que em qualquer outro lugar. Esta descoberta é acompanhada pela Guarda Costeira dos EUA, cujos registros computadorizados dos incidentes no Atlântico remontam a 1958."
Nos dias de hoje, em que a orientação por GPS é muito utilizada, é difícil imaginar que um navio ou avião possam realmente desaparecer. Mas isso não quer dizer que não houve alguns desaparecimentos recentes atribuídos ao Triângulo das Bermudas:
Anomalias magnéticas e a neblina



Imagem cedida Amazon

"The Fog: A Never Before Published Theory of the Bermuda Triangle Phenomenon" (A Neblina: uma teoria jamais publicada sobre o fenômeno do Triângulo das Bermudas), de autoria de Rob MacGregor e Bruce Gernon, traz relatos de uma "neblina eletrônica" que ambos viram ao voar sobre o Triângulo. A história é a seguinte: em 4 de dezembro de 1970, Gernon e seu pai voavam para Bimini em um céu claro quando viram uma nuvem estranha com extremidades quase que perfeitamente arredondadas pairando sobre a costa da Flórida. E conforme voaram sobre ela, a nuvem começou a se espalhar, igualando ou até ultrapassando a velocidade deles. A 3.505 metros de altura, acharam que haviam escapado da "nuvem", mas acabaram descobrindo que ela havia formado um túnel, e a única possibilidade de fuga parecia ser passar por esse túnel. E quando estavam lá dentro, viram linhas nas paredes que giravam no sentido anti-horário, os instrumentos de navegação ficaram descontrolados e a bússola também passou a girar no sentido anti-horário.


Aeronave DC-3, vôo NC-16002, em 1948

Gernon disse que havia "percebido a ocorrência de algo muito estranho. Em vez do céu azul e limpo que esperávamos no final do túnel, tudo parecia branco-acinzentado. Além disso, a visibilidade parecia ser de 3 quilômetros, mas não havia absolutamente nada para ver. " Não havia oceano, horizonte ou mesmo céu, somente um nevoeiro cinza", disse ele.

Quando Gernon entrou em contato com o controle de tráfego aéreo de Miami para obter uma identificação de radar, o controlador disse não haver aviões aparecendo no radar entre as regiões de Miami, Bimini e Andros. Após vários minutos, Gernon ouviu o controlador dizer que um avião havia acabado de aparecer diretamente sobre Miami. Gernon não achou que poderia estar sobre Miami Beach, já que o tempo normal de viagem é de 75 minutos para chegar até lá e só tinham passado 47 minutos desde o início do incidente. Mas nesse mesmo momento, o túnel começou a se desfazer no que ele descreveu como tiras de neblina. E mais, os instrumentos começaram a operar normalmente e viram Miami Beach logo abaixo deles. E foi essa passagem de tempo, confirmada por seus relógios e pelo relógio do avião, que levou Gernon a acreditar que a neblina eletrônica possuía características relativas a viagens no tempo.


O interessante é que Gernon passou por essa experiência mais uma vez enquanto voava com sua mulher e, muitos outros pilotos também tiveram experiências semelhantes ao sobrevoar a área. Gernon diz acreditar que as potentes tempestades eletromagnéticas que ocorrem no interior da Terra passam através da superfície e atingem a atmosfera, onde logo desaparecem, deixando essa neblina eletrica. E ainda de acordo com Gernon, um cientista suíço descobriu que o magnetismo é mais fraco no triângulo do que em qualquer outro lugar da Terra, uma possível explicação para essa neblina ocorrer mais lá do que em qualquer outro lugar
Teorias plausíveis
A maioria das explicações racionais para os incidentes no Triângulo das Bermudas, incluindo as fornecidas pela marinha e guarda costeira americanas, está relacionada a erros humanos e efeitos ambientais. Como a área é uma das mais usadas por pilotos e marinheiros amadores, há uma probabilidade maior de ocorrerem acidentes e desaparecimentos.


Imagem cedida Air Force Reserve Command
O 440º Esquadrão voava no Fairchild C-119 "Flying Boxcar", que recebeu esse nome por causa de seu grande compartimento de carga


Padrões climáticos e topografia


Imagem e um tufão em direção às Bermudas.

A área está sujeita a tempestades e mudanças climáticas violentas e inesperadas. Essas tempestades curtas e intensas podem se desenvolver e dissipar tão rapidamente que nem chegam a ser detectadas pelos satélites. Além disso, trombas d'água capazes de destruir facilmente um avião ou navio passando pela área são bastante comuns. Uma tromba d'água nada mais é do que um tornado que ocorre no mar e puxa a água da superfície do oceano até milhares de metros de altura. Outro fator ambiental possível são os terremotos submarinos, já que cientistas encontraram bastante atividade sísmica na área. E mais, os cientistas também já observaram ondas de até 30 metros de altura.

A topografia submarina da área também pode ser um fator importante, já que varia de uma plataforma continental levemente inclinada para uma queda extremamente profunda. Na verdade, alguns dos fossos mais profundos do mundo se encontram nessa área. E se um navio ou avião afundar em um desses fossos, a probabilidade de que nunca seja encontrado é muito grande.



Certas coisas são mesmo inexplicáveis e naturalmente assustam no Triângulo das Bermudas. Essa, por exemplo, é a famosa "Língua do Oceano", um apavorante buraco de gigantescas proporções e além disso dotado de desconhecida profundidade que mergulha indefinidamente nas águas abissais do Atlântico. (FOTO: NASA)

Listagem de alguns eventos relatados no Triangulo das Bermudas
1840 - Rosalie - embarcação francesa encontrada meses após o seu desaparecimento, na área do Triângulo das Bermudas, navegando com as velas recolhidas, a carga intacta, porém sem vestígios de sua tripulação.
1880 - Atlanta - Fragata britânica, desapareceu em Janeiro, com 290 pessoas a bordo.
1902 - Freya - embarcação alemã, ficou um dia desaparecida. Saiu de Manzanillo, em Cuba no dia 3 de outubro. Foi encontrada no dia seguinte, no mesmo local de onde havia saído, porém sem nenhuma pessoa a bordo: todos os tripulantes desapareceram.
1918 - Cyclops - embarcação carregada com 19.000 toneladas de aprovisionamentos para a Marinha Estadunidense, com 309 pessoas a bordo. Desapareceu a 4 de março em mar calmo, sem emitir aviso, mesmo dispondo de rádio.
1925 - Cotopaxi - embarcação desaparecida próximo a Cuba.
1931 - Stavenger - cargueiro desaparecido com 43 homens a bordo.
1932 - John and Mary - embarcação desaparecida em Abril. Foi encontrada posteriormente à deriva, a cerca de 80 quilômetros das ilhas Bermudas.
1938 - Anglo-Australian - embarcação desaparecida em Março, com uma tripulação de 39 homens. Pediu socorro quando estava próxima ao Arquipélago dos Açores.
1940 - Gloria Colite - embarcação desaparecida em Fevereiro. Foi encontrada com tudo intacto, mas sem a tripulação.
1944 - Rubicon - cargueiro cubano desaparecido em 22 de outubro. Foi encontrado mais tarde pela Guarda Costeira Estadunidense próximo à costa da Flórida.
1945 - Super Constellation - aeronave da Marinha Estadunidense desaparecida em 30 de Outubro, com 42 pessoas a bordo.
1945 - Vôo 19 ou Missão 19 ("Flight 19") - esquadrilha de cinco aviões TBF Avenger, desaparecida em 5 de Dezembro.
1945 - Martin Mariner - hidroavião enviado na busca do Vôo 19, também desapareceu em 5 de dezembro, após 20 minutos de vôo, com 13 tripulantes a bordo.
1947 - C-54 - aeronave do Exército dos Estados Unidos, jamais foi encontrado.
1948 - DC-3 - aeronave comercial, desaparecida em 28 de dezembro, com 32 passageiros.
1950 - Sandra - cargueiro transportando inseticida, desapareceu em Junho e jamais foi encontrado.
1955 - CONNEMARA IV - Desapareceu em setembro e apareceu 640km distante das bermudas, também sem tripulação.
1963 - MARINE SULPHUR QUEEN - Cargueiro que desapareceu em fevereiro sem emitir nenhum pedido de socorro.
1963 - SNO'BOY - Desaparecido em 1º de Julho. Era um pesqueiro com 20 homens a bordo. Nunca foi encontrado.
1967 - WITCHCRAFT - Desaparecido em 24 de dezembro. Considerado um dos casos mais extraordinários do Triângulo. Tratava-se de uma embarcação que realizava cruzeiros marítimos. Estava amarrado a uma bóia em frente ao porto de Miami, Flórida, a cerca de 1600 metros do solo. Simplesmente desapareceu com sua equipe e um passageiro a bordo.
1950 - GLOBEMASTER - Avião desaparecido em março. Era um avião comercial dos Estados Unidos.
1952 - YORK - Avião de transporte britânico. Desaparecido em 2 de fevereiro. Tinha 33 passageiros a bordo fora a tripulação. Sumiu ao norte do Triângulo das Bermudas.
1956 - MARTIN P-5M - Hidroavião desaparecido em 9 de novembro. Fazia a patrulha da costa dos Estados Unidos. Sumiu com 10 tripulantes a bordo nas proximidades do Triângulo das Bermudas.
1957 - CHASE YC-122 - Desaparecido em 11 de janeiro. Era um avião cargueiro com 4 passageiros a bordo.
1962 - Um avião KB-50 desapareceu em 8 de janeiro. Tratava-se de um avião tanque das Forças Aéreas dos Estados Unidos. Desapareceu quando cruzava o Triângulo.
1963 - 2 STRATOTANKERS KC-135 desapareceram em 28 de agosto. Eram 2 aviões de quatro motores cada, novos, a serviço das forças aéreas americanas. Iam em missão secreta para um base no Atlântico, mas nunca chegaram no local.
1963 - CARGOMASTER C-132 - Desaparecido em 22 de setembro perto das ilhas Açores.
1965 - FLYNG BOXCAR C-119 - Desaparecido em 5 de junho. Era um avião comercial com 10 passageiros a bordo.
1973 - ANITA - Desaparecido em março. Era um cargueiro de 20.000 toneladas que estava circulando próximo ao Triângulo com 32 tripulantes a bordo.
1973 - Milton Atrides - cargueiro desaparecido em Abril.
1976 - Grand Zenith - petroleiro, afundou com pessoas e bens a bordo. Deixou uma grande mancha de petróleo que, pouco depois, também desapareceu.
Um Cessna 172 é "caçado" por uma nuvem, o que resulta em funcionamento defeituoso de seus instrumentos, com conseqüente perda de posição e morte do piloto, como informaram os passageiros sobreviventes.
Um Beechcraft Bonanza voa para dentro de uma monstruosa nuvem cúmulo ao largo de Andros, perde o contato pelo rádio e logo recupera-o, quatro minutos depois, mas descobre que agora está sobre Miami, com mais vinte e cinco galões de gasolina do que deveria ter-quase exatamente a quantidade de gasolina que seria gasta pelo aparelho numa viagem Andros-Miami.
Um 727 da National Airlines fica sem radar durante dez minutos, tempo em que o piloto informa estar voando através de um leve nevoeiro. Na hora de aterrissar, descobre-se que todos os relógios a bordo e o cronômetro do avião perderam exatamente dez minutos, apesar de uma verificação da hora cerca de trinta minutos antes da aterrissagem.
DC-3 N407D, sumiu em 21 de setembro de 1978
Fighting Tiger 524, sumiu em 22 de fevereiro de 1978
Beechcraft N9027Q, desaparecido em 11 de fevereiro de 1980
Ercoupe N3808H, sumiu em 28 de junho de 1980
Beech Bonanza, sumiu em 5 de janeiro de 1981
Piper Cherokee N3527E, desaparecido em 26 de março de 1986
Grumman Cougar Jet, último contato realizado em 31 de outubro de 1991
o barco a motor Jamanic K, desaparecido quando ia de Cape Haitian para Miami, em 20 de março de 1995
o barco a motor Genesis, que sumiu no caminho de Port of Spain, em Trinidad, para St. Vincent, em 21 de abril de 1999
Cessna 210, desapareceu do radar quando ia de Freeport a Nassau, em 14 de junho de 1999



pesquisa
http://www.discoverybrasil.com
http://geocities.yahoo.com.br/
http://ciencia.hsw.com.br/triangulo-das-bermudas.htm

26 comentários:

  1. Noossa esse blog ta muito bão camarada ! Pra quem gosta desse tipo de assunto (que é o meu caso) é um prato cheio...deve ter dado trabalho pra compilar todas as informações heim !
    Essa parada do Triangulo das bermudas é fascinante !
    Parabéns mesmo

    ResponderExcluir
  2. Olá !! tava passando Poraqui e achei essa parte do seu Blog legal. Eu Achei na Net a Abra de Um cientista que fez uma teoria capaz de explicar essa os efeitos das Neblinas Magnética no Triângulo das Bermudas ou nuvens magnéticas

    Link:

    http://www.scribd.com/doc/16331957/Teoria-do-Triangulo-das-Bermudas

    ResponderExcluir
  3. Li esse livro "Como escapei do Triângulo...". Era um assunto que eu gostava muito. Hoje temo, mas é interessante. É misterioso demais e não há como negar esses desaparecimentos. Parabens pelo blog

    ResponderExcluir
  4. Legal esse conteudo.

    wwwjottanilton.blogspot.com

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. adoro o mundo misterioso como o triangulo das bermudas e outros mais muito bom esta informação e estudos científicos...

      Excluir
  5. agradeço os comentários construtivos que tenho recebido.
    Simone

    ResponderExcluir
  6. Olá amigo, vim aqui para deixa o link onde estão todas as obras do Cientista Herbert Alexandre Galdino Pereira da área de Eletromagnetismo Aplicado e Aviónica. Ele é autor da Teoria do Triângulo das Bermudas, que visa explicar o que ocorre com os aviões ao entrarem nessa zona, Teoria dos Celulares e Eletricidade Estática, e Orientação aos Aviadores Brasileiros ao voarem a Serra do Cachimbo, em Mato Grosso, pois existe campo Magnético na área do Brasil (relaciona-se ao vôo 1907 e com o Tráfico Aéreo). Entre outras obras.
    Deixo o Link aqui em baixo para Leitura e Downloads das Obras deles.

    http://www.scribd.com/people/documents/13555060-fuma-a

    Um abraço.

    ResponderExcluir
  7. é esse blog é muito interessante!
    mas na verdade ninguém sabe o que acontece realmente.
    eu so queria ver esse mistério desvendado.

    ResponderExcluir
  8. muito incrivel esse triangulo das ber mudas
    me da ate medo de me ver nun lugar desses
    belo blog parabens ^^

    ResponderExcluir
  9. são relatos inpresionantes..
    parabéns pelos arquivos!

    ResponderExcluir
  10. Muito interessante esse seu Blog. Parabéns pelo trabalho. Toda vida desde que ouvi falar do triângulo das Bermudas, sinto um interesse muito grande pelo assunto. Sinto até arrepios quando acrescentam algumas coisas sobrenaturais sobre os casos ocorridos. Na verdade acredito que os casos diminuíram depois que os sistemas de navegação dos navios e aviões, passaram a ter monitoramento por satélite. Mas espero ainda que esses casos ocorridos venham a ter uma explicação no futuro. Estou torcendo para que alguns dos envovidos das embarcações que apareceram, venham falar a verdade sobre o ocorrido.

    ResponderExcluir
  11. legal ,esse blog,disseram que os avioes e embarcaçoes desaparecião por causa de um problema de gás metano, que devido- lhe acontecia bolhas na superficie do oceano que atraía os avioes e embarcaçoes afundando-lhes

    ResponderExcluir
  12. Sou estudante de Oceanografia e acho o assunto triângulo das Bermudas muito interessante e também inexplicável..foi muito bem abordado,bem como os relatos aqui descritos.Parabéns pelo trabalho...

    ResponderExcluir
  13. Caro amigo, vim aqui para deixa o link do site do Cientista Herbert Alexandre Galdino Pereira da área de Eletromagnetismo Aplicado e Aviónica, pois os links antigos já não funcionam mais. Ele é autor da Teoria do Triângulo das Bermudas, Teoria dos Celulares e Eletricidade Estática, e Orientação aos Aviadores Brasileiros ao voarem a Serra do Cachimbo, em Mato Grosso, pois existe campo Magnético na área do Brasil. Entre outras obras.
    Deixo o Link aqui em baixo para Leitura e Downloads das Obras deles.

    http://www.cientistaherbertalexandre.com/

    Feliz Natal

    ResponderExcluir
  14. a unica explicação é que seja o misterio ´de deus. essas coisa inesplicavel.

    ResponderExcluir
  15. lindo de mais!! parece o cú do mar....

    ResponderExcluir
  16. OLA! EU SOU A GABI E QUERO DIZER Q GOSTEI MUITOO MESMO VCS ESTAO DE PARABENS, SOU MUITO CURIOSA E ACHEI MUITO LEGAL, GOSTO MUITO DESAS COISAS! EU E 2 PRIMAS MINHAS LEMOS MUITO SOBRE ISTO E ACREDITAMOS DE VERDADE E PRA QUEM NAO ACREDITA ISTO TUDO VAI VIRAR REALIDADE!!! OBRIGADO PELA ATENÇAO:)

    ResponderExcluir
  17. PARABENS PELO BLOG EU PARTICULAR MENTE ACREDITO MUITO NISSO: A MISTERIOS ENTRE O CEU E A TERRA QUE NAO PODEMOS DESVENDAR...

    ResponderExcluir
  18. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  19. eu acho que existe um campo magnetico nesse triangulo. se não for isso é um misterio sobrenatural. mas agora porque tem a forma de um triangulo perfeito?

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Deve ser por ter uma linha transparente ligando ilhas Bermudas,Porto Rico, Fort Lauderdale (Flórida) e as Bahamas , formando um triângulo e vc escreveu que deve esxistir um campo magnético , bom pode ser , e ser existir deve esxistir nessa área .

      Excluir
    2. Eu também acho que pode ser esse campo magnético e também essa história do asteróide que caiu lá no triângulo das bermudas pode ser uma pista , esse asteróide pode ter muito gás metano e quando os navios passam por lá pode '' confundir '' as operações mecânicas .

      Excluir
  20. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir
  21. isso nos esplica muitas coissa mas ainda sim,a teoria da conspiração esconde muitas coisas importantes como por exemplo os extras terretres

    ResponderExcluir
  22. ALGO SOBRE NATURAL ACONTEÇE SE VERMOS PARA O LADO ISPIRITUAL SABEMOS QUE E´UM FENOMENO

    ResponderExcluir